quarta-feira, 1 de junho de 2011

Biografia - Caçula e Marinheiro

Orlando Bianchi, o Caçula, nasceu em São José do Rio Preto - SP no ano de 1934.
Benedito Brás dos Reis, o Marinheiro, nasceu em Piracanjuba - GO no ano de 1929.

Não confundir com o Caçula da dupla "Mariano e Caçula" que foi a primeira dupla sertaneja a gravar um disco, trata-se apenas de coincidência no nome artístico.

Caçula começou como "menino-prodígio" da Sanfona e se apresentou na Rádio Rio Preto, em sua cidade-natal, com apenas 7 anos de idade, no ano de 1941. Gravou seu primeiro disco aos 20 anos de idade tocando sanfona em um trio intitulado "Irmãos Souza & Caçula" pela gravadora Star em 1953. Ao que consta, os Irmãos Souza, juntamente com Caçula, gravaram 5 discos 78 RPM entre 1953 e 1957, com composições de Zé Mariano, Zé do Rancho, Zé do Pinho, Bolinha e Caçula.

Foi por essa época, ainda em São José do Rio Preto - SP, que Caçula conheceu o Zé do Rancho, que formava dupla com Bolinha. Formaram então um trio, no ano de 1955.

No ano seguinte, Caçula conheceu Benedito na Rádio Bandeirantes de São Paulo - SP. Benedito, por sua vez já tinha o nome artístico de Marinheiro e formava com Cândido de Paula Brazão a dupla "Brazão e Marinheiro" (Cândido de Paula Brazão foi também o "primeiro Brazão" da dupla Brazão & Brasãozinho).

A dupla "Brazão e Marinheiro" gravou 2 discos 78 RPM pela gravadora Copacabana um em 1956 e outro em 1957 e obteve um certo destaque com a música "É Chato Gostar". Logo após a dupla se separou devido a personalidade incompatível de seus integrantes, Brazão tinha um temperamento forte e gostava de uma briga, já Marinheiro era o oposto, sempre calmo e tranquilo.

Pouco tempo depois de terem se conhecido, Orlando e Benedito formaram a dupla "Caçula & Marinheiro", a qual passou a se apresentar no inesquecível programa "Alvorada Cabocla", nos 1100 kHz da Rádio Nacional de São Paulo - SP (hoje Rádio Globo), sob o comando do Radialista Nhô Zé. Gravaram alguns discos 78 RPM e um LP, e logo após também separaram. Nesta época Marinheiro conheceu a filha do dono do circo onde ele se apresentava, a moça chamada Clarinda também cantava, Marinheiro então casou-se e formou dupla com ela, "Clarinda & Marinheiro" gravaram apenas um disco 78 RPM em 1961, Caçula os acompanhava na sanfona. Mas apenas dois anos depois do casamento ao dar a luz à primeira filha do casal, Clarinda veio a falecer. Com o apoio do Caçula e também pensando em sua filha, Marinheiro encontrou forças para seguir em busca de seu sonho, e desta triste história a própria dupla Caçula e Marinheiro compôs e lançou em 1963 a música "Cantinho Do Céu" que viria a ser o maior sucesso da carreira vendendo milhões de discos e os consagrando no Brasil inteiro.
Mais tarde Marinheiro casou-se com a irmã da esposa do Caçula tornando-os assim concunhados.
Caçula & Marinheiro gravaram de 1960 à 1980 mais de 20 LP's e alguns 78 RPM.
A parceria de 20 anos findou-se em 1980 com a definitiva separação. No mesmo ano Caçula gravou seu ultimo disco, o único ao lado de seu irmão formando a dupla "Caçula & Mazinho" enquanto Marinheiro também gravou apenas um disco com sua esposa "Marinheiro & Gercina".

Infelizmente no dia 26/12/1984 Marinheiro veio a falecer.

Caçula faleceu no ano de 1989 após passar alguns dias internado.

***********************************************************
Durante toda carreira Caçula & Marinheiro destacaram-se por cantarem um sertanejo moderno, com letras românticas, bem pronunciadas, cantando a língua portuguesa corretamente o que não era uma preocupação nas duplas chamadas "caipiras" na época, em seus arranjos colocavam instrumentos até então não utilizados pelas demais duplas, nunca gravaram "moda de viola", se vestiam com roupas extravagantes e como os cantores da Jovem Guarda e não com a tradicional camisa xadrez combinada, cada um se vestia de um jeito, uma dupla que foi pioneira em muitas coisas as quais não lhe são dadas os créditos atualmente.

Alguns sucessos de Caçula e Marinheiro:

Acesse o blog criado por nós em homenagem à dupla: Clique AQUI.

Nenhum comentário: